• Home /
  • Sobre /
  • Contato /
  • Categorias
  • O meu estuprador...

    "Josielma Ramos"

    O meu estuprador talvez seja aquele senhor que faz bicos de pedreiro nas casas dos vizinhos, aquele que meu pai contratou para reformar uma parede lá de casa, ele me tocou quando eu tinha oito anos, apenas tocou com aqueles dedos imundos, será que isso é estupro? Eu não queria que ele me tocasse, eu não sabia o que ele estava fazendo, e fiquei com medo de contar para minha mãe.
    O meu estuprador talvez seja o meu vizinho, o marido da melhor amiga da minha mãe, aos doze anos eu cuidava do bebê deles durante o dia, e o marido dela chegava primeiro, quando eu ia levar o bebê no momento da troca de colo ele tocava meus seios, eu não dizia nada, apenas ia embora correndo, todos os dias durante um tempo, até que disse para minha mãe que não tinha mais paciência para cuidar do bebê, será que se eu contasse para minha mãe ela acreditaria? Eu nunca saberia, pois tinha medo de contar.
    O meu estuprador talvez seja o rapaz com quem perdi minha virgindade, eu disse não e mesmo assim ele me forçou, namorei com ele, porque cresci com minha mãe dizendo que nunca arrumaria um marido não sendo virgem, “Que homem vai te querer se você já foi de outro” dizia ela, e me forcei a um relacionamento longo na esperança de um dia me casar com ele, porque se ele terminasse comigo com certeza nenhum outro iria me querer.
    O meu estuprador talvez seja o cara que passa e buzina toda vez que faço caminhada, ou o que me chama de gostosa quando passa por mim na rua, ou o que me beijou a força em uma festa, ou talvez o que me encochou dentro do ônibus, o meu e o de tantas meninas que nem se descobriram ainda, talvez não tenham onde se apoiar, talvez viverão o resto de suas vidas com medo e se escondendo, com medo de qualquer sombra que passe por elas, irão olhar todos os rostos, em busca de nunca mais encontrar o seu estuprador.
    Não eles nunca serão os “Meus” estupradores, são apenas homens que tentaram me resumir a nada e que não tiveram sucesso nisso, sou mulher, sou forte, sou única, ninguém me faz mal se eu não permitir, ninguém me faz ser menos do que sou se eu não deixar e nunca deixarei.

    Da série - Pequenas histórias

    "Josielma Ramos"

    Sentada na mesa, 
    Na cozinha de minha mãe, 
    Me sentindo uma criança, 
    Ela fazendo bolo de cenoura com chocolate,
    E eu aqui querendo lamber a tigela, 
    Matando a saudades da minha infância.

    Vegetariana?

    Em fevereiro desse ano decidi me tornar vegetariana, era uma coisa que eu sempre tive vontade de fazer desde os meus 15 anos, mas entendia muito pouco do assunto e não tinha interesse na época em procurar saber, apenas achava bonitinho dizer: "Sou vegetariana", Eu não como carne de frango desde os 15 anos, mas não porque eu era vegetariana e sim porque tinha nojo, assim como de ovos, também não os comia a menos que fosse em massa de bolo, carne de vaca eu também não comia, a menos que fosse em um churrasco, a única carne que eu tinha costume de comer era de porco, porque eu amava bacon.
    Porém no fim do ano passado em uma viagem ao nordeste para a casa da minha avó descobri o meu apreço pela vida animal, minha avó tem criações de carneiros, cabras e bodes e lá eles penduram o animal no quintal batem na cabeça dele até o bichinho morrer e depois o abrem e começam a cortar, quando eu era criança achava interessante olhar meu avô fazendo isso, mas nessa minha última viagem não achei tão interessante assim, eu comecei a passar mal e a chorar por ver o animal lutando pela sua vida em vão, eu não pude fazer nada me senti uma inútil, sempre amei cachorros e gatos, mas nunca tinha me sentido assim por causa de um animal que "se come", após terminarem de cortar o bode minha avó o cozinhou para o almoço, naquele dia não almocei e nem nos dias seguintes, perdi 4 quilos naquela viagem e minha avó dizia que eu tinha nojo da comida dela, que estava fazendo desfeita, coitada ela não tinha culpa nenhuma, era uma coisa que só eu conseguia entender.
    Quando voltei para casa eu ainda lembrava do pobre animal, mas voltei a comer como comia antes, mas no inicio desse ano me deu um estalo a mente e comecei a fazer pesquisas sobre as formas de abate de animais, ver videos, pesquisar a composição dos produtos comprados nos mercados, entrei em diversos grupos de vegetarianismo e veganismo no facebook, e comecei a me identificar com o estilo de vida, e dessa vez não porque achava bonitinho e sim porque era o que eu queria de verdade, porque agora eu sabia a verdade por trás do açougue, por trás da morte de cada animal, como eles sofrem em vida para no fim sofrer para morrer.
    Enfim faz quase 6 meses que me tornei vegetariana, tem sido uma transição, me sinto mais saudável, emagreci 12 quilos, minha pele está mais bonita, minha acne melhorou, tenho mais fôlego para caminhar e até meus cabelos tem mais brilho, não vou mentir dizendo que não escorreguei algumas vezes, sim eu escorreguei algumas vezes, é difícil você ir visitar uma pessoa e não comer nada que ela oferece, é difícil ter um marido que come mais carne do que um leão na selva africana e enche a geladeira de todo tipo delas, não vou dizer que nesses quase 6 meses não comi nada de carne, como qualquer transição escorregamos às vezes, eu sou humana, não quero ser perfeita, mas estou caminhando cada dia mais para ficar próximo disso, minha meta é me tornar vegana, espero que daqui a algum tempo eu consiga apagar qualquer consumo de origem animal da minha vida, mas hoje estou feliz por ter conseguido chegar onde cheguei, estou 10 níveis acima do que estava há um ano atrás.
    Sinto que estou no caminho certo e não quero voltar atrás.

    Tudo que aprendi sobre o assunto devo a esses grupos no facebook:
    Veganismo
    Receitas Veganas

    Sexta-feira

    "Josielma Ramos"

    Sexta-feira,
    Ela se arruma,
    Calça seus saltos altos e passa maquiagem,
    Veste seu melhor vestido curto,
    Está pronta para dançar,
    Só chegará na manhã seguinte.

    Sexta-feira,
    Todos saem,
    Sem hora pra voltar,
    Bebem todas,
    Se divertem,
    Dançam com os sapatos nas mãos,

    Sexta-feira,
    Eu aqui trancada,
    Entregue a solidão,
    Meu coração bate tão fraco,
    Já nem sei o que é dançar,
    Já nem sei o que é diversão.

    Já é quase sábado,
    Leio um livro enquanto espero,
    Me preocupo precocemente,
    Ela cresceu tão rápido.

    Já é sábado,
    Ela ainda não chegou,
    Não posso prende-la aqui comigo,
    Minhas assas foram cortadas,
    Mas as dela são novinhas,
    Ela está aprendendo a voar,
    E Eu vou ajudar ela a escapar.


    Sol iluminando um dia de sol

    Se tem uma pessoinha que eu mais sinto prazer em fotografar, essa pessoinha é a minha sobrinha Sophia, eu amo as caras que ela faz, parece até uma moça mas ela tem apenas 4 anos, no dia que fiquei sabendo que a minha irmã do meio estava grávida eu me senti grávida junto, acompanhei dia-a-dia a gestação ansiosa pelo dia que a minha primeira sobrinha nasceria, e quando esse dia chegou não cabia tanta felicidade dentro de mim, ela ainda tinha poucos meses de nascida quando minha irmã voltou a trabalhar e decidiu fazer faculdade, eu ficava praticamente o dia inteiro com a Sol, me deitava no sofá e ela dormia deitada em cima da minha barriga, era um bebê esperto e se tornou uma criança inteligente, eu amo todos meus sobrinhos, mas a Sol foi a primeira e nossa ligação é mágica, sem contar que ela também é fã de Harry Potter rsrss.
    Eu amo essa pequena, quando ela fica doente eu fico doente junto, quando saio quero levar ela comigo, hoje fiz almoço e ela puxou uma cadeira e disse que ia me ajudar a fazer comida, lavou meus copos melhor do que um adulto lavaria enquanto conversava comigo dizendo:
    _Jo, quando eu crescer quero ser apresentadora de circo!
    Eu perguntei o que um apresentador de circo fazia e ela me respondeu:
    _Não sei, mas eu aprendo, sei pular alto e dar pirueta!
    Ela me chama de "Minha Jo" apesar de eu pedir para me chamar de Tia Jo, ela insiste:
    _Você é Minha Jo!
    Ela está crescendo tão rápido, em setembro fará 5 anos, e meu amor só cresce a cada dia que passa, sinto saudades da Sol bebê, mas estou amando conhecer a cada dia a Sol criança.

     
     


    Nunca mais

    "Josielma Ramos"

    Você conseguiu,
    Mais uma vez me tirou do sério,
    Quando irei aprender,
    Que seu amor me sufoca e me faz querer morrer.

    Sempre me diz coisas lindas,
    Me enche de carinho e dúvidas,
    Acontece que estou cheia,
    Queria mesmo é te dar um soco na cara.

    Estou em um momento de fraqueza,
    Sinto que se fechar meus olhos posso nunca mais acordar,
    Você me enche de dúvidas e me faz querer voltar atrás,
    Mas esse é o fim.

    Minha decisão está tomada,
    Meu caminho já escolhi,
    E não pretendo voltar,
    Nunca mais.

    Tag: Harry Potter - Livros e Filmes

    Vi essa tag no Tumblr sobre Harry Potter e como sou apaixonada pela saga é claro que eu quis responder :)

    1 – O melhor livro: Harry Potter e o Cálice de Fogo.
    2 – Personagem favorito: Todos nós amamos o Harry Potter, porém minha personagem favorita é a Hermione.
    3 – Cena preferida de Harry Potter e a Pedra Filosofal: A cena em que o Harry descobre que é bruxo é épica! ”Eu não posso ser um Bruxo. Eu sou o Harry, só Harry.” 
    4 – Local preferido: Cabana do Hagrid.
    5 – Se você fosse um animago, em qual animal se transformaria: Em um Gato.
    6 – Melhor vilão: Bellatrix, ela é Diva.
    7 – Cena preferida de Harry Potter e a Câmara Secreta: “Por que sigam as aranhas? Não podia ser sigam as borboletas?” 
    8 – O melhor filme: Harry Potter e o Enigma do Principe.
    9 – Qual personagem que morreu você queria que tivesse sobrevivido: Todos, mas eu acho que o Fred deveria ter sobrevivido, imagino como deve ter sido difícil para o Jorge e toda família viver sem ele.
    10 – Quem você prefere: Harry, Rony ou Hermione: Cada um tem uma personalidade INCRÍVEL, não consigo escolher entre eles… Harry é corajoso e todos aprenderam a amar, Hermione é a inteligencia e beleza do grupo e Rony é engraçado e dramático. Mas se for para escolher um fico com a Hermione.
    11 – Cena preferida de Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban: Quando Harry consegue fazer o patrono que ele pensava ter sido seu pai quem tinha feito.
    12 – Qual livro mais te emocionou: Sem sombra de dúvidas As relíquias da morte.
    13 – O final de qual personagem você mudaria, e como seria: Tonks e Lupin não teriam morrido e poderiam criar seu filho Ted.
    14 – Qual posição você jogaria no Quadribol: Batedor
    15 – Qual personagem sobreviveu mas você gostaria que tivesse morrido: Definitivamente a (ECA) Dolores Umbridge.
    16 – Cena preferida de Harry Potter e o Cálice de Fogo: Quando o nome do Harry sai da taça tribruxo, ele fica tão constrangido que eu senti a vergonha junto com ele rsrss.


    17 – Qual filme mais te emocionou: Harry Potter e as Relíquias da Morte – parte II
    18 – Jogador preferido de Quadribol: Rony, hey, hey, hey Weasley é nosso rei.
    19 – Qual livro você leu mais vezes: Eu sempre relia toda a série na ordem do primeiro para o último, li cinco vezes cada um.
    20 – Qual casa de Hogwarts você pertenceria: Todos os testes que eu fiz, inclusive no Pottermore, indicaram que eu pertenço a Grifinória, apenas um deu Sonserina, mas sempre me identifiquei com a Grifinória.
    21 – Cena preferida de Harry Potter e a Ordem da Fênix: A batalha dos Comensais da Morte contra a Ordem da Fênix e a Batalha de Dumbledore e Voldemort.
    22 – Qual é seu professor preferido: Minerva.
    23 – Que destino você daria a Draco Malfoy: Gosto do destino que a J.K. deu para ele.
    24 – Qual filme você assistiu mais vezes: Prisioneiro de Azkaban.
    25 – Personagem que poderia não existir que não faria falta nenhuma: Todos personagens fariam falta.
    26 – Personagem que só aparece no livro mas você gostaria de ter visto nos filmes: Pirraça é um poltergeist que vive em Hogwarts, queria muito ver as bagunças que ele aprontava.
    27 – Personagem que é exatamente nos filmes como você imaginou quando leu: Luna
    28 – Cena preferida de Harry Potter e o Enigma do Príncipe: Quando Harry corre atrás de Severo e começa a falar tudo que estava entalado, até quando Harry lança no Snape o feitiço Sectumsempra e Snape revela que ele é o Príncipe Mestiço. E outra cena marcante é quando todos apontam a varinha para o céu em homenagem a morte de Alvo. 
    29 – Matéria preferida ensinada em Hogwarts: Transfiguração e Poções.
    30 – Se pudesse possuir uma das Relíquias da Morte, qual seria: A capa da invisibilidade.
    31 – Qual forma teria o seu Patrono: Gato, porque eu amo gatos não por causa da Dolores Umbridge nojenta.
    32 – Interprete favorito: Emma Watson
    33 – Melhor adaptação (filme que mais chegou perto do livro): A Pedra Filosofal e Prisioneiro de Azkaban.
    34 – Cena preferida de Harry Potter e as Relíquias da Morte Parte 1: Quando o Rony destrói a horcrux e volta para o acampamento e Hermione bate nele.
    35 – Time de Quadribol preferido:  Grifinória.
    36 – Qual lembrança você usaria para produzir um Patrono: O nascimento das minhas sobrinhas.
    37 – Se você pudesse escolher um feitiço, apenas um para usar sempre que quisesse, qual seria: Accio para não precisar me levantar para pegar as coisas rsrss 
    38 – Criatura mágica preferida: Hipogrifo.
    39 – Qual das criaturas que Hagrid teve que mais te dá medo: Aragogue e Fofo.
    40 – Cena preferida de Harry Potter e as Relíquias da Morte parte 2: Beijo de Hermione e Ron / Batalha Harry e Voldemort.
    41 – Se você tomasse a poção polissuco quem da saga você gostaria de se transformar: Hermione.
    42 – Sua loja preferida em Hogsmeade: Dedosdemel.
    43 – Qual dos marotos é o seu preferido: Sirius.
    44 – Personagem que pra você fez toda diferença na história: Snape e Alvo.
    45 – Melhor apanhador: Harry Potter ou Vítor Krum: Harry!
    46 – Personagem que você não gostaria de ser: Umbridge ou Argo Filch.
    47 – Se Harry Potter não tivesse sido inscrito no torneio tribruxo, pra quem você torceria: Cedrico, Fleur ou Krum: Fleur, eu adoro ela.
    48 – Qual dos comensais da morte é o seu preferido: Bellatrix Lestrange.
    49 – Profeta diário ou O Pasquim: O Pasquim!
    50 – Qual seria a continuação que você daria a Harry Potter: Não gostaria de ver uma continuação, tudo que é bom um dia acaba e se tivesse muitas continuações poderia correr o risco de não ser tão épico como foi, mas bem que eu gostaria de ver um livro que contasse a ”História dos Marotos” e dos personagens dessa época.
    Espero que tenham curtido as minhas respostas, se fizerem a tag, comentem o link ai para que eu possa ver e comentar :)

    Veneno

    “Josielma Ramos”

    Explodi...
    Tem uma dor que não cabe mais aqui,
    Derramo-me em lágrimas que há muito tempo eu perdi,
    O que esta acontecendo comigo,
    Reencontrei uma fragilidade que pensei haver perdido,
    Minha desconstrução está me destruindo?
    Minha mente se expandiu de tal forma que agora tudo que enxergo me dá pesar,
    Sufoca-me,
    Nauseia-me,
    Mata-me,
    Não acredito mais nos sonhos que um dia tive,
    Tudo é chato e monótono para mim,
    Minha fé se perdeu e nessa brincadeira quem mais perdeu fui eu,
    Frágil e sem proteção,
    A espera do golpe que ira por um fim nesse sofrimento,
    Só não esperava que ele viesse de onde eu menos esperava,
    Em forma de veneno,
    No sorriso mais doce,
    E no rosto mais bonito,
    Falso,
    Amaldiçoado,
    Na minha própria pele,
    E do meu próprio sangue.

    Sol que ilumina: Nossa pequena ajudando as crianças com câncer

    Olá galera, hoje quero falar de uma coisa que me encheu de orgulho, essa menininha ai da foto é minha sobrinha Sophia, mas a chamamos de Sol desde pequenininha.
    O nome Sophia significa sabedoria, mas nunca pensei que essa pequena pudesse ser tão sábia como ela tem demonstrado desde que aprendeu a falar, ela sempre solta frases com palavras difíceis até para um adulto falar, mas hoje ela fez muito mais do que dizer palavras difíceis, ela cortou os cabelos para doar para as crianças com câncer.
    Toda vez que falávamos em cortar os cabelos dela porque estava enorme, ela batia o pé dizendo que não ia cortar de jeito nenhum, minha irmã sempre saia do cabeleireiro frustrada porque nenhum cabeleireiro conseguia por as mãos nos cabelos dela, mas hoje depois de ver uma menina careca ela perguntou por que a menina não tinha cabelos, minha irmã explicou sobre a doença da menina, sobre o câncer e que o tratamento causava a queda dos cabelos, na hora ela quis cortar dizendo que não era certo ela ter muito cabelo e a menina não ter nenhum, conclusão cortou os cabelos sem chorar.
    Ela tá super ansiosa pra ir no hospital do câncer conhecer as crianças e amou seus cabelos curtos, toda hora se olha no espelho pulando e balançando ele, e o mais importante é que ela ficou feliz ajudando ao próximo, e eu fiquei feliz pela lição de humanidade que a minha pequena demonstrou, eu não podia ser a tia mais babona do mundo.


    Nossa Sol iluminando vidas <3

    O poeta não espera

    "Josielma Ramos"

    O poeta não chora, ele se derrama,
    Feito tempestade, por toda sua arte,
    Ele abre caminhos, entre suas dores,
    Em cada estrada, um amor,
    Em cada amor, uma dor.

    São caminhos distantes,
    Totalmente opostos,
    Mas no fim de cada um existe alguém que espera,
    Que chora, que se inunda,
    E por mais que se afogue, continua a esperar.

    Uma espera contínua,
    Sem hora pra acabar,
    Sobrando apenas a esperança,
    De um par para dançar.

    Livre

    A cada dia me desconstruo um pouco, vou me livrando de tudo que me faz mal, de roupas velhas, de gente chata, dos meus receios e meus preconceitos, me livrando das algemas que me prendem a um mundo desigual e imundo, me sentindo mais leve e livre cada vez mais.


    Que apenas os beijos tapem nossa boca nesse mundo de opressão, e que sejam beijos consentidos e jamais forçados!

    Nuvens e algodão

    "Josielma Ramos"

    Tenho estrelas nos cabelos,
    E meia-lua em cada olho,
    Meus sonhos são infinitos,
    Mas caminho entre as nuvens,
    Pulando de algodão em algodão,
    Tomando cuidado para não cair no chão.

    Mas se caio eu acordo,
    E na terra me encontro,
    Acordada e insatisfeita,
    Olhando para cima,
    E sonhando,
    Mas dessa vez acordada,
    Ah como eu queria dormir entre as nuvens,
    Com um travesseiro de algodão.

    Poeminha


    Poemize-se 
    Poetizei
    E a alma toda se desfez
    Se desmanchou em poeira
    Virou pó de estrela.
    "Josielma Ramos"

    Santana de Parnaíba-SP

    Não me canso de falar da cidade onde eu vivo, gosto de caminhar por lá e tirar fotos de tudo, das ruas e estradas, das casinhas históricas, de tudo que me inspira e não mudou nesses 19 anos que vivo aqui, o melhor é que todas as fotos tirei da garupa da moto do meu marido, reparem que em algumas se vê o espelho da moto.

    Descida do moro do vacanga.

    Entrada do centro.


    Rua de acesso ao centro histórico.

    Praça da Matriz.


    Colégio Colaço, onde estudei meus dois últimos anos do colegial.

    Igreja Matriz

    Casa amarela é o nosso Cine teatro.



    Uma das lindas casas históricas.


    Espero que tenham gostado das fotos, eu adorei fotografar de um ângulo novo e em movimento, até o próximo post.

    Novos caminhos

    Olá galera, este é um post de explicação, decidi mudar o nome do blog, mudar layout, mudar tudo, o blog já não vem sendo o que era quando eu comecei, eu mudei e muita coisa em minha vida mudou, eu cresci, amadureci e decidi conhecer novos caminhos, então é por isso que a partir dessa semana o Visões Poéticas passara a se chamar Como vejo o mundo!
    O blog tem se tornado um relato de tudo que eu amo, ele não tem mais sido voltado apenas a poesia, portanto eu acho que o nome Visões Poéticas não se encaixa mais nele, e como esse ano lanço meu livro com o titulo de Visões Poéticas que esse titulo seja exclusivo do livro, então é isso, que venham novos caminhos.

    3 Curtas de Terror | Você vai se arrepender de dar PLAY!

    Fuçando a internet outro dia achei esses 3 curtas de terror, como vocês já sabem eu escrevo alguns contos de terror então meio que curto filmes desse tipo.
    Os curtas são bem fortes, então se você é do tipo de pessoa que não dorme de luz apagada ou não vai no banheiro sozinho a noite, aconselho a não assistir...
    ...Não diga que eu não avisei ;)

    One Last Dive

    Mama

    Lights Out

    Quero ver quem vai conseguir dormir hoje!

    Colocar a chaleira no fogo

    "Josielma Ramos"

    Era uma manhã de setembro, olhei pela janela e a chuva caia preguiçosamente, calcei meus chinelos e andei lentamente até o fogão, coloquei a chaleira no fogo e esperei a água esquentar enquanto continuava a olhar pela janela, de repente ouvi uma batida em minha porta, o que era estranho já que sempre consigo ver da janela quando alguém passa, e naquele momento ninguém havia passado, mesmo assim fui em direção à porta e a abri, para minha surpresa e total espanto não havia ninguém lá, apenas um gato pardo e gordo, nunca fui muito fã de gatos, então fechei a porta depois de dar mais uma olhada em cada direção e me certificar que não havia mesmo ninguém por ali, malditas crianças, é com certeza deviam ser as crianças dos vizinhos tentando me pregar uma peça.
    A chaleira apitou, corri até o fogão e a peguei, preparei as minhas ervas dentro da minha xicara favorita e preparei o meu chá, nos poucos instantes antes de levar a xicara a boca alguém batia na porta novamente, larguei meu chá em cima da mesa e fui até a porta, mais novamente não havia ninguém lá, teria que ter uma séria conversa com os pais daquelas crianças, enquanto eu olhava para os dois lados da viela o gato pardo e gordo que ainda estava na minha porta, entrou correndo para dentro da minha casa passando por debaixo das minhas pernas, sentou-se na minha cadeira e ficou a me encarar, que gato mais doido eu pensei.
    _Sai, passa, xó_ Eu disse com a porta aberta apontando para a rua, esperando ele sair, ele apenas continuou a me encarar com aqueles olhos vermelhos assustadores.
    _Vamos, vai embora, eu não gosto de gatos, nada contra você, só que eu prefiro cães_ Eu disse para o gato, eu devia estar a beira da loucura pois podia jurar que ele me olhou de uma maneira não muito comum em gatos e também por estar falando com um gato, depois de um momento percebi que ele não iria sair, então desisti de o expulsar não sei bem o porque, simplesmente fechei a porta, peguei minha xicara de chá e me sentei na cadeira do outro lado da mesa, ele me encarando e eu encarando ele, em nenhum momento o bichano miou ou desviou o olhar, ele ficou lá na minha cadeira apenas parado me olhando com aqueles profundos olhos vermelhos de aparência maligna.
    _O que você está olhando? Deve achar que eu sou doido por falar com você né? Pois saiba que não sou_ Mais ao mesmo tempo eu falava para mim mesmo, se não sou doido porque deixei ele ficar e ainda continuo falando com ele?
    Esse gato era muito estranho, será que ele sentia fome, talvez fosse isso, fui até minha geladeira e enchi um pires de leite, coloquei no pé da cadeira, ele desceu, bebeu e assim que terminou lambeu os bigodes, voltou a subir na cadeira e a me encarar.
    _Só pode ser brincadeira né, seu gato doido, muito bem está na hora de ir embora_ Fui até a porta e a abri, e para minha surpresa o gato se levantou e saiu, simples assim foi embora, agora eu estava livre dele, pelo resto do dia nenhuma batida na porta e nem vi mais aquele gato.
    Na noite daquele mesmo dia de setembro sai para jantar com alguns amigos, bebemos um pouco, nos divertimos, ouvimos música em um barzinho e depois fomos para casa, cada um para a sua, viro esquina, entra esquina e quando entro na viela onde fica minha casa, quem cruza meu caminho? O maldito gato pardo e gordo, bem que minha mãe sempre dizia para nunca alimentar animais, senão eles nunca mais te deixam em paz, eu continuei caminhando em direção a minha casa e o gato continuou lá, bem no meio da viela me encarando enquanto eu me aproximava, quanto cheguei perto do gato, ele não me deixou passar, começou a caminhar de costas sem tirar os olhos de mim, será que estou mesmo louco eu pensei, um gato andando de costas, ele andava lentamente, fantasmagoricamente, só posso estar louco mesmo, resolvi ignorar aquele gato, passei sem olhar para ele, corri até a minha porta, peguei a chave e abri, entrei respirando fundo, estava a salvo daquele gato doido, estava cansado então me preparei para ir dormir, depois que me joguei na cama, droga sonhei com o maldito gato, só pode ser brincadeira, aqueles olhos, aqueles malditos olhos vermelhos, me encarando, me engolindo, me consumindo, acordei pingando de suor, senti algo escorrendo do meu nariz, era sangue, levantei e fui até o banheiro.
    _Droga, mais que susto_ O maldito gato estava sentado em cima do vaso sanitário_ Como você entrou aqui? Por que fica me encarando? Está me julgando? Julgando meus pecados? Não é minha culpa se Lílian morreu daquela maneira, é verdade que se eu realmente quisesse se realmente tivesse tentado eu a teria salvo, mais não pude fazer isso, estava com raiva, ela havia me traído, estava apaixonada por outro, isso eu não podia aceitar, ela era minha, o amor da minha vida, havíamos feito promessas, promessas que não se quebram assim da noite para o dia, sim eu a deixei morrer.
    Era isso que aquele gato tanto julgava com aqueles imensos olhos vermelhos demoníacos, no fundo pareciam um pouco, sim pareciam com os olhos de Lílian, mais não podia ser, ela devia ter voltado para me buscar, eu já sabia o que ela queria.

    Aquela noite era fria, mais mesmo assim caminhei para o ponto de John, descalço e sem agasalho, o mesmo lugar onde eu havia permitido sua morte prematura, no mesmo lugar em que permiti que suas lembranças caíssem no esquecimento, o mesmo lugar em que minha doce Lílian teve seu fim, mais a verdade é que o fantasma de sua presença era constante até no perfume do meu travesseiro, foi com essa lembrança de seus longos cachos negros, de seus lindos olhos castanhos, de sua pele branca e do perfume, ah aquele perfume no meu travesseiro, foi com todas essas lembranças que me deixei cair pelo ponto de Jonh, um lugar de encontros românticos as escuras e de separações, e agora talvez de um reencontro de amores perdidos, de almas perdidas.

    Nosso projeto fotográfico: A essência do amor!

    O post de hoje é muito especial, trata-se de um projeto que eu e mais 5 amigas blogueiras estamos fazendo, criando pela Sabrina Ikeda do blog Um espaço para falar de tudo que amo.
    Toda primeira sexta feira do mês, faremos uma postagem coletiva, de um determinado tema e o desse mês não podia ser outra né, a essência do amor.
    Como muitos sabem eu conheci meu marido no meu último ano escola, namoramos 1 ano e ficamos noivos, foram 2 anos de noivado e depois decidimos nos casar, depois de marcarmos o casamento duas vezes e não termos conseguido a terceira era pra dar sorte, finalmente nos casamos no dia 16 de maio de 2009, a vida a dois é bastante complicada, as vezes temos que fazer concessões em prol de algo maior na relação, eu sou muito feliz por ter alguém como o Joel ao meu lado, que apoia minhas escolhas e olha que eu sou uma pessoa difícil e de ideias fortes, todas as decisões que eu tomo ele logo assina em baixo, e é tudo que ele dedica a mim que me faz apaixonada cada dia mais.
    Bem então chega de conversa e vamos as fotos que eu escolhi para esse projeto.

    Essa foto foi tirada no dia do nosso noivado.


    Essa foto foi tirada uma semana depois que nos casamos.

    Nosso casamento.


















    Bem é isso galera, espero que tenham gostado, sei que exagerei nas fotos, mas são tantas em 8 anos que fica muito difícil escolher.
    Aproveita que já tá aqui e passa no blog das outras blogueiras que estão participando do projeto, links aqui em baixo:


     
    Copyright © Como vejo o mundo | Blog | Todos os direitos reservados | Desenvolvimento por VR DESIGN :: VOLTE AO TOPO