• Home /
  • Sobre /
  • Contato /
  • Categorias
  • Tarde em São Roque

    Hoje passei a tarde na cidade de São Roque no interior de São Paulo, meu sogro queria levar minha sogra para conhecer a cidade onde ela nasceu e a família toda foi junto, e olha que a família é grande, a cidade é pequena e linda, e o tempo estava muito agradável com aquele friozinho tipico de cidadezinha gostosa.

    Que só beijos tapem sua boca.


    Minha sogra e meu sogro.

    Minha cunhada Meire e seu marido Marcelo.
    Minha cunhada Elaine e seu marido Roberto.
    Com minha sobrinha Milena.
    Com meu marido Joel.
    Com minha sobrinha Bruna e meu marido Joel.
    Meu sogro na direção.
    São Roque cidade do vinho.


    Lucas, Milena e Matheus, meus sobrinhos.
    Centro de São Roque, procurando onde estacionar.
    A igreja matriz de São Roque, estava havendo um casamento.
    Parada para um lanche rápido, atendentes lentas e confusas, trocaram todos os nossos pedidos, ainda bem que somos pacientes. 
    Meu marido e o sobrinho Lucas.
    Uma noiva.
    Adorei essa viela, várias lojas com preços pequenos.
    Aproveitei o friozinho para comprar um gorro de lã.
    Começa a anoitecer, hora de ir pra casa.
    Mas antes, parada para comer pipoca doce.
    E assim foi o meu dia, a noite havíamos planejado de ir ao cinema assistir X-Man dias de um futuro esquecido, mais o cinema acabou ficando para outro dia, fomos na pizzaria compramos esfirras e jantamos elas em casa, foi um final de dia perfeito e ainda acabei assistindo a fantástica fabrica de chocolates com as crianças.

    Da série - Pequenas histórias

    "Josielma Ramos"

    Cotovelos ralados,
    Joelhos arranhados,
    Quedas e mais quedas,
    Braço engessado,
    Andar de bicicleta e patins,
    Jogar bola e correr sem camiseta,
    Apostar corrida com o filho do vizinho que diz:
    _Você é menina, ganho fácil de você!
    Ganhar a corrida e ainda derrubar ele da bicicleta,
              Eu era feminista desde pequena e não sabia.

    Os olhos de Elisa


    "Josielma Ramos"

    Havia algo que me hipnotizava nos olhos da minha vizinha, às vezes ela passava com suas amigas, vindo do colégio e eu apenas ficava a olhando, simplesmente não conseguia desviar o olhar, apenas quando o olhar de Elisa cruzava com o meu, era que eu despertava do meu transe e ficava totalmente envergonhado por ficar a olhando tão descaradamente, era sempre a mesma rotina, ela passava, vindo do colégio e eu moleque que era estava sempre sentado no muro de casa empinando pipa, mais quando ela passava meu mundo parava, eu não conseguia pensar mais em nada só nos olhos de Elisa.
    Certo dia minha prima Anita enviou um convite de aniversário, eu não queria ir, mais quando cheguei à casa de Anita agradeci por minha mãe ter me obrigado a ir, Elisa era amiga de Anita e estava lá, eu ficava hipnotizado olhando ela dançar com suas amigas, eu não parava de olhá-la, para não ficar muito constrangedor decidi ir para a varanda da casa e ficar por lá até a hora de cortar o bolo, de repente ouvi uma voz falando comigo:
    Você é primo da Anita?
    Era ela, Elisa estava falando comigo pela primeira vez, aqueles olhos... Não consegui formular nenhuma palavra para responder a ela, então fiquei calado e apenas balancei a cabeça em sentido afirmativo.
    Sempre te vejo me olhando, você tem algum problema comigo?
    Balancei a cabeça em sentido negativo.
    O gato comeu sua língua?
    Desculpe é que não consigo parar de te olhar, você tem olhos lindos sabia?
    Ah, obrigada  Disse Elisa meio sem graça com o elogio inesperado.
    Desculpe se te constrangi Respondi envergonhado de ter abrido minha boca.
    Não estou constrangida, só não esperava que elogiasse meus olhos, nunca é a primeira coisa que me dizem, é sempre “você é uma garota bonita”, mais fiquei feliz com seu elogio, obrigada.
    Eu não consegui dizer mais nada, os olhos dela me hipnotizavam, me consumiam, eram enormes como os olhos de um gato e tão azuis como um oceano profundo, pareciam querer me afogar, ah se eu pudesse me afogar neles, beber de suas águas salgadas, nadar até o infinito dos olhos de Elisa, ela estava ali na minha frente, bastava que eu pulasse para mergulhar neles, mas enquanto ainda pensava se pulava ou não Anita chegou e nos puxou para dentro de casa para cantar parabéns.
    Elisa acabou se mudando de nosso bairro, seus pais se divorciaram e ela foi morar com sua mãe em outra cidade, o pai continuou lá morando mesma casa sempre sozinho, Elisa nem vinha mais visita-lo, eu ouvi dizer que ele não aceitava as visitas dela, mas se é verdade ou não eu nunca soube, a única coisa que sei era que eu sentia falta de olhar nos olhos de Elisa, suas amigas ainda passavam vindo da escola e eu continuava ali em cima do muro empinando minhas pipas, mais meu olhar já não cruzava com o dela.
    Anos se passaram, mas eu sempre me lembrava daquele olhar em que eu me afogaria se tivesse tido a oportunidade. Um dia cruzando a rua do terminal rodoviário uma garotinha estava correndo, devia estar com seus oito ou nove anos de idade, ela caiu bem aos meus pés e eu me abaixei para ajudar a se levantar.
    —Obrigada moço Respondeu a garotinha.
    Fiquei sem palavras quando aquela garota me olhou, seus olhos eram enormes e azuis, sim azuis como os de Elisa, pensando bem a garotinha me lembrava de Elisa, fiquei paralisado e confuso, quando uma mulher correu em nossa direção.
    —Sophie querida, você está bem, já disse para não ficar correndo por ai, obrigada senhor—A mulher me disse sorrindo.
    Eu não pude acreditar no que via, era Elisa, depois de todos aqueles anos sem ver aqueles olhos, os olhos com que eu sonhava toda noite, os olhos que eu desejava loucamente mergulhar.
    —Elisa?
    —Desculpe, nós nos conhecemos?
    —Sim, mas isso foi há muito tempo, sou Antônio, primo da Anita.
    —Eu me lembro de você, nossa faz muito tempo mesmo, Antônio essa é minha filha Sophie você tem filhos?
    —Não, apesar de gostar muito de crianças, infelizmente nunca me casei, não encontrei o amor da minha vida.
    —Entendo, eu pelo contrário encontrei o amor da minha vida, ou ao menos era isso o que eu imaginava, acabou não dando certo, mas me deixou um presente maravilhosoEla respondeu abraçando a filha.
    —Sinto muito que não tenha dado certo, mas confesso que fico feliz de ouvir isso.
    —Ah é mesmo? E por quê?
    —Porque senão eu não poderia te convidar para tomar café comigo.
    —Agora eu não posso, mas vou adorar colocar a conversa em dia, não nos vemos há tanto tempo.
    Trocamos números de telefone naquele dia, eu não acreditava na sorte que eu tinha, quase 20 anos sem ver aqueles olhos, parecia que o destino nos queria juntos, no dia seguinte liguei para Elisa que aceitou meu convite para jantar, fomos a um restaurante italiano a algumas quadras do meu apartamento, conversamos sobre a nossa época de criança, lembramo-nos do aniversário de Anita em que conversamos pela primeira vez, ela não quis falar sobre o divórcio de seus pais, era um assunto que ainda a magoava e mais ainda por sua filha estar passando pela mesma situação. No fim da noite me ofereci para leva-la de volta para casa, mas não me lembro bem como e porque fomos parar no meu apartamento, minhas vagas lembranças são de que bebemos muito e ela acabou me beijando no meu sofá.
    Acordei na manhã seguinte nu na minha cama, estava com uma ressaca terrível e uma imensa dor de cabeça, não lembrava quase nada da noite anterior, mas me lembrava de Elisa e de termos nos beijado, não me sentia mais tão obcecado por seus olhos, talvez eu quisesse tanto estar com ela que me apeguei à paz que sentia olhando em seus olhos, mas agora que a tinha por perto talvez tudo mudasse, talvez ficássemos juntos e eu poderia olhar para aqueles olhos todas as manhãs, teria dois pares de olhos azuis profundos para olhar, os de Elisa e os de Sophie.
    Virei-me na cama e senti algo, o contorno de um corpo entre os lençóis, puxei-os um pouco e vi as belas pernas nuas de Elisa por baixo dos lençóis, ela ainda estava ali dormindo, então não tinha sido um sonho, me permiti um sorriso de felicidade, não queria acorda-la, então levantei e fui até minha cômoda procurar uma roupa e antes mesmo de abrir a gaveta fiquei curioso pelo fato do porta-joias da minha mãe estar ali, eu sempre o guardava no cofre em meu escritório, eu poderia simplesmente ter pego a pequena caixa e a guardado na minha gaveta, mas a curiosidade me fez a abrir, entrei em choque e o porta-joias caiu de minha mão deixando rolar um par perfeito de olhos azuis profundos, corri até a cama e olhei no rosto de Elisa, não havia mais azul, não havia mais oceano, apenas duas orbitas vazias, ela não dormia, estava morta.

    Stevie Nicks: Músicas

    Um amigo me perguntou quais músicas da Stevie Nicks eu conhecia, ai prometi fazer um post listando algumas de suas canções que conheço, mas melhor que apenas listar as canções seria colocar aqui os videos com suas músicas e shows, colocarei minhas favoritas pois são muitas e o post ficaria enorme, espero que gostem tanto quanto eu me diverti fazendo esse post.
    Pra quem ainda não viu já fiz um post anterior contando um pouco sobre ela e sua carreira como cantora, podem ver ele aqui >>>Stevie Nicks





    E a minha favorita por último "Rhiannon"


    Vencedora do Sorteio Amantes da Leitura

    Bom dia povo lindo do meu coração, os livros já foram enviados para a vencedora do sorteio e ela já me mandou uma foto com os 3 livros, Carla Gonçalves espero que aproveite muito a leitura e parabéns.


    Até o próximo sorteio galera!

    Hey, hey, hey... Weasley é nosso Rei!

    Estava dando uma fuçadinha básica no tumblr e achei essas fotos com as caras e bocas do Rony Weasley, confesso que ele é um dos meus personagens favoritos da saga Harry Potter, as caras do Rupert são ótimas kkkkk.



    Resultado do sorteio Amantes da Leitura

    Olá pessoal, finalmente saiu o resultado do nosso sorteio, desculpem a demora era para o sorteio ter acontecido na sexta-feira, mas por conta de uns probleminhas técnicos acabou acontecendo um pouco atrasado, mas vamos ao que interessa que é conhecer o ganhador.


    Para o sorteio eu utilizei um gerador de sorteios bastante utilizados em blogs que é
    http://www.random.org/widgets/integers/ que gerou o número 14.



    Referente á inscrição de número 14 que é da Carla Gonçalves, conferi se ela seguia todos os critérios e regras do sorteio e está tudo ok.


    Estarei entrando em contato com ela nos próximos dias e se não houver resposta, haverá um novo sorteio, espero que todos tenham gostado do nosso primeiro sorteio e eu espero que seja o primeiro de muitos, até o próximo galera.

    Link do Sorteio Amantes da Leitura

    Pinacoteca do Estado de São Paulo

    Na quarta-feira dia 07/05 fui na Pinacoteca do Estado, visitei o museu a pedido da minha professora de Educação e Diversidade, que nos pediu para montar um plano de aula em cima de uma obra que gostássemos, essa deve ter sido minha segunda vez na vida dentro de um museu, e a primeira na Pinacoteca mas não a última, eu simplesmente sai de lá apaixonada pelo lugar, sempre amei tudo ligado a arte, mas depois de ver obras tão lindas e tão realistas tão de perto, não tem como não se apaixonar mais um pouco, as vezes sou melhor com imagens do que com palavras, então aqui estão algumas das fotos que tirei das obras que eu mais gostei.

    Entrada da Pinacoteca

    Que cara alto!

    Não lembro o nome desse quadro, mas se não me engano acho que é o retrato de Dom Pedro, só não lembro qual deles.

    Aqueles Pontinhos brancos lá embaixo é uma exposição chamada Casamata, são várias casinhas de passarinhos, todas diferentes umas das outras,. 

    Essa escultura não tinha placa de identificação, então não sei o nome, mas na minha visão, a vejo como uma deusa, alta, bonita e imponente.

    Eu adorei essa escultura, parecia um totem com várias imagens de animais, e vários macacos no topo.


    Tirei essa foto em cima de uma passarela que tem no meio do museu, morro de medo de altura e eu estava no terceiro andar, sai de lá suando frio e tremendo de meso, mais consegui sorrir pra foto.

    Os quadros tinham traços tão perfeitos que quase pareciam fotografias.

    Eu realmente fiquei encantada com os detalhes desse vaso, me lembrou aqueles vasos gregos dos desenhos do Hércules, cheio de detalhes, ele era quase da minha altura, eu passei duas vezes por esse corredor só para admira-lo. 

    Esse cara é bem metido, nem quis me olhar.

    Este foi definitivamente, meu quadro favorito da exposição, e foi em cima dele que fiz meu relatório pra faculdade, ele se chama "Black is Different" é da escultora, modelo e pintora Niki de Saint Phalle, infelizmente a artista faleceu em 2002, mas deixou obras lindas espalhadas pelo mundo.

    Essa é a exposição casamata, várias casas de passarinhos presas por fios, pessoalmente é bem mais lindo e iluminado do que na foto.

    Essa obra tinha uma descrição dizendo que era uma grafitagem feita na última virada cultural.

    Esse é um quadro do Di Cavalcanti, intitulado "Figuras de Animais.




    Essa escultura estava intitulada como da série magrinhas, não me lembro o nome do artista.

    Essas duas obras me chamaram a atenção pela perfeição com que foram trabalhadas.


    Espero que tenham gostado, e recomendo o passeio, é simplesmente magnifico e super fácil de chegar ao local, e o melhor é que o museu da Língua Portuguesa é em frente, na minha próxima visita já sei onde será minha parada.



     
    Copyright © Como vejo o mundo | Blog | Todos os direitos reservados | Desenvolvimento por VR DESIGN :: VOLTE AO TOPO